Setaro, Construtor de Utopias

Vivica Genaux

Natural do Alasca, a mezzo-soprano Vivica Genaux é uma das maiores intérpretes de repertórios barroco e do bel canto. A artista é reconhecida internacionalmente não só pelas suas proezas vocais e a sua incrível virtuosidade, mas também pela interpretação sentida dos personagens a que dá vida. O seu repertório inclui mais de 65 papéis.

Vivica recebeu o Prêmio Händel em 2017 na cidade de Halle (Alemanha).

Já atuou em locais de prestígio, como o Centro Nacional de Artes Cênicas de Pequim, o Symphony Center em Chicago, o Barbican Centre em Londres, o Metropolitan Opera em Nova York, o Rudolfinum em Praga e os Theater an der Wien e Wiener Staatsoper, ambos na capital Austríaca.

Em 2017, Vivica interpretou os papéis de Lepido no Lucio Cornelio Silla de Händel no Wiener Konzerthaus; Eternidade e Diana no Calisto di Cavalli na Ópera Nacional de Reno; Malcolm na Mulher do Lago Rossini no Festival de Pentecostes de Salzburgo; e Arsamene (início) no Xerxes de Händel na Ópera Real de Versalhes, com a orquestra A Maçã Dourada sob a direção de Maxim Emelyanychev.

Também em 2017, Vivica fundou a V / vox Academy supervisionando o primeiro curso. Após o sucesso da primeira academia, Vivica é convidada a realizar masterclasses na Weimar Hochschule füe Musik Franz Liszt e na Roma Opera Campus / SGM Foundation.

No mesmo ano, novos concertos levam-na até Sisteron (França) onde irá participar em obras de Castrucci, Galuppi e Vivaldi, com a Orquestra Concerto Köln; no George Enescu Festival em Bucareste para um concerto de Vivaldi com Fabio Biondi e Europa Galante; seguidamente com Sonia Prina em Gloria e Imeneo di Vivaldi no Théâtre des Champs-Elysées; participa também com Thibault Noally e Les Musiciens du Louvre num programa Händel/Purple no Auditorium de Catalunya em Barcelona.

Em 2018, depois de vários concertos sob a direção de Diego Fasolis no Teatro de la Maestranza em Sevilha (Händel / Vivaldi com Ann Hallenberg), Vivica tem compromissos sob a direção de Marcello di Lisa no Arsenal de Metz e coma a Filarmônica de Essen (programa Farinelli); Lars Ulrik Mortensen com Sonia Prina em Copenhague e Wigmore Hall em Londres (programa Farinelli vs Senesino); e Thibault Noally com Les Accents na La Salle Gaveau em Paris (programa Händel / Scarlatti). Será ainda ouvido em Ljubljana, Viena, Paris, Londres, Lisboa, Toulouse e Essen. Antes de um espetaculo com Erin Helyard no Melbourne Recital Center, Viviva vai estrear-se como Mandane em Artaserse de Hasse juntamente com a Pinchgut Opera de Sydney.

Em 2019, Vivica irá para Washington, DC, para a sua estreia como Emma, em Zelmira de Rossini com a Washington Concert Opera. Posteriormente, juntar-se-á a um grupo de artistas aclamados para o concerto de gala Farinelli bem como alguns amigos no Festival de Pentecostes em Salzburgo.

 

Fonte: http://www.vivicagenaux.com/biography.htm

Please follow and like us:
0