Tiago Daniel Mota

De 2001 a 2007, estudou no Conservatório Nacional de Lisboa, onde se formou em canto. Tem uma vasta experiência sobretudo nas áreas de música
antiga e contemporânea, tendo colaborado, entre outros, com o Coro Gulbenkian (entre outros, sob a direcção de Michel Corboz) e o Ensemble
Officium. Desde 2007 mora em Basel, onde estudou música antiga na Schola Cantorum Basiliensis com Dominique Vellard; obteve em 2012 o seu Masters
em Canto e também em Ensemble vocal (AVES). Teve igualmente a oportunidade de trabalhar com Gerd Türk, Evelyn Tubb e Anthony Rooley, incluindo na gravação em CD de “The Passions”, uma oratória de William Hayes.

Colabora actualmente com o Huelgas Ensemble; o Choeur de Chambre de Namur, com quem gravou vários CDs, nomeadamente o Requiem de Mozart e
o Vespro della Vergine de Monteverdi, sob a direcção de Leonardo Alarcón; Coro della Radiosvizzera, sob a direcção de Diego Fasolis; e também Basler Madrigalisten, ensemble suíço focado primordialmente na música antiga e contemporânea, com quem realizou a première de várias obras. É um membro fundador do Ensemble Armonia degli Affetti (seleccionado em 2014 como um dos Jeunes Ensembles de Ambronay), não apenas como cantor solista e de ensemble, mas também pesquisando e editando peças dos séculos XVII e XVIII.

Em 2006 e 2007, desempenhou o papel principal de Anão em “A Floresta”, uma ópera de Eurico Carrapatoso. No início de 2012, participou como solista na ópera “The Fairy Queen”, de Purcell, no Theater Basel e em março de 2014, foi solista na ópera “Shiva para Anne”, a 3ª parte de uma trilogia composta por Mela Meierhans e apresentada no MaerzMusik de Berlim e Luzern Festival.