Nos próximos três meses, a Fundação da Casa de Mateus continua a apostar na capacitação e formação dos funcionários da Casa, com diferentes ações também abertas à comunidade em geral. É o projeto Lugar Comum, iniciado em Julho de 2019, que cruza o desenvolvimento do capital humano da Fundação da Casa de Mateus através do empoderamento das suas equipas e da compreensão integrada do seu papel, valores e oportunidades, bem como do exercício de uma visão de território e de trabalho em parceria.

 

Assim, já no dia 13 de Março, sexta-feira, irá decorrer a primeira Oficina Narrativas do Património. Orientada por José Luís Ferreira, dirige-se aos guias turísticos da instituição mas está também aberta a todos aqueles que tenham interesse em compreender como se faz este trabalho de contar um património a quem o visita e, mais do que isso, de o envolver na própria história e dinâmica da Casa, de uma forma simples e apelativa. Estas oficinas, de entrada livre mas sujeitas a inscrição, vão decorrer durante 3 meses, sempre à sexta-feira, entre as 14h00 e as 15h00.

 

Também às sextas, entre as 12h00 e as 13h00, vai iniciar-se a Oficina de Francês, para um nível básico de iniciação. Orientada por Suzana Dionísio, dirige-se a quem queira dar os primeiros passos nesta língua internacional, importante pelos fluxos turísticos que visitam a Casa, mas também pelo impacto que pode ter numa comunidade que mantém laços familiares fortes com países francófonos.

 

No que toca à atividade agrícola, prossegue a Oficina de Vitivinicultura, orientada por José Carlos Fernandes. Com sessões agendadas a cada três semanas a partir da segunda-feira, dia 23 de Março, estas oficinas abordam de uma forma prática o ciclo anual da vinha e as operações necessárias à sua gestão com certificação biológica. Aprofundando o desígnio de transição ecológica que a Fundação está a empreender, haverá uma sessão especial ao longo de todo o dia 14 de Abril, dirigida por João Castella, com o título ‘Biodinâmica, um impulso cultural novo na compreensão da Natureza’.

 

No dia 30 de Março, e sempre com uma cadência quinzenal, entre as 15h00 e as 17h00, o arquiteto paisagista e hortelão João Bicho dirige as Oficinas práticas de Horticultura. Nestas oficinas, abertas à comunidade, aprendemos a planear uma horta biológica, a preparar o terreno, a plantar, a fazer sementeiras, a conhecer e controlar pragas e doenças…

 

Ainda em Março, no dia 31, reinicia-se a Oficina de Informática, com sessões semanais, às terças-feiras, entre as 12h00 e as 13h00, orientadas por João Neto. Também de um nível inicial, numa ação de reforço das competências digitais básicas, permitirão qualificar o desempenho profissional, mas sobretudo favorecer a inclusão num mundo progressivamente mais informatizado.

 

Nos dias 16 de Abril, 2 e 16 de Julho, Armando Malheiro orientará o primeiro ciclo da Oficina de Arquivo. Em sessões abertas a todos os interessados em práticas documentais e arquivísticas, o objeto de abordagem será o Sistema de Informação da Casa de Mateus, a revisão teórica do modelo sistémico em que está fundado e a aplicação prática deste modelo à resolução de problemas concretos de gestão do Arquivo.

 

O projeto Lugar Comum tem como objetivo o desenvolvimento do capital humano da Fundação da Casa de Mateus através de uma visão integrada do seu papel, valores e oportunidades, e através do empoderamento das suas equipas através da aquisição de novos conhecimentos e metodologias, permitindo-lhes enfrentar as exigências da gestão contemporânea e os desafios de agilidade, qualidade e transparência que caracterizam uma organização do séc. XXI

 

Para mais informações e inscrições, consultar www.casademateus.com ou cultura@casademateus.pt

 

O projeto Lugar Comum é uma iniciativa da Fundação da Casa de Mateus, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.