“(…) cuidado nos livros e estampas, e a observação pontual da pratica por mim estabelecida de não tirar nenhum livro da livraria sem que se ponha no seu lugar um papel (…)”.

Instruções que deixo a meu filho e aditamento de D. José Luís de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos, 1.º Conde de Vila Real. 1846.05.23

O espaço agora ocupado pela Biblioteca foi adequado em meados do século XX por D. Francisco de Albuquerque, tornando-se num símbolo da dedicação às letras e à aquisição do conhecimento que foi apanágio dos sucessivos representantes da Casa de Mateus.

Nesta sala, que ocupa o lugar central da ala norte da Casa, reunem-se muitos dos livros de uma família, que desde sempre, teve forte implantação, na Universidade, na Igreja e na Magistratura (…) e com preocupações de cultura, pelo menos livresca, conforme demonstrou o estudo recente de Vasco Graça Moura.

Local de visita obrigatória tanto para o turista como para os participantes nas actividades culturais da Fundação, a Biblioteca alberga mais de seis mil volumes, dos quais 459 constituem o núcleo de livro antigo.

Neste local, é possível consultar-se obras de teor religioso, histórico e jurídico, desde os Clássicos aos Modernos.

A partir de 2001, com o apoio do FEDER, e num claro esforço de valorização, a Biblioteca foi alvo de tratamento descritivo e de restauro tendo sido construída uma base de dados contendo 6087 fichas bibliográficas.

Neste âmbito, foram ainda publicados o “Catálogo de Obras Impressas nos séculos XVI, XVII e XVIII”, em 2005, o “Catálogo das Obras Impressas nos séculos XIX e XX “e o CD-Rom, em 2006.

O espaço é também dedicado a D. José Maria do Carmo de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos, conhecido nos salões literários por Morgado de Mateus, e à sua famosa edição d’Os Lusíadas dada à estampa em 1817, sendo possível contemplar as provas tipográficas, as chapas originais em cobre e demais documentos relativos à edição.

Para aceder ao catálogo da biblioteca, clique nos seguintes links: