Portugal apresenta uma comunidade vibrante na área das ciências e tecnologias oceânicas, sendo uma das principais nações do mundo a desenvolver trabalhos no campo da robótica marinha. Os robôs portugueses desenvolvem trabalhos nos oceanos Atlântico, Pacífico, Índico e Ártico, bem como no Mar Mediterrâneo, Adriático e no Golfo Pérsico. No entanto, os robôs marinhos não estão a ser utilizados devidamente nas águas portuguesas. Tal facto é ainda mais surpreendente, dada a centralidade atlântica das nossas águas sustentada ma herança que teve inicio nos descobrimentos. O que nos está a escapar?

O seminário que se realiza na Casa de Mateus entre os dias 22 e 25 de Novembro, reúne grandes especialistas na área da exploração marinha, focando-se na importância dos veículos robóticos aplicados à exploração oceânica, com vistas a uma presença sustentável nos mesmos. Tal não pode ser alcançado sem uma perspectiva interdisciplinar e cooperação internacional.

No dia 23 de Novembro, terá lugar uma sessão pública onde serão discutidas várias ideias de teor cientifico, tecnológico mas também ético e políticas no que à exploração marinha diz respeito.