A Fundação da Casa de Mateus, propõe, ao longo do ano de 2020, apresentar e explicar cada mês documentos representativos das 12 Secções constantes do seu Arquivo.

Secção 05 – Botelho Mourão (1731 – 1746)

António José Botelho Mourão (n. 1688/08/05 – f. 1746/02/20)
D. Joana Maria de Sousa Mascarenhas e Queirós (b. 1695/04/16 – f. 1723/04/05)

António José Botelho Mourão casou com D. Joana Maria de Sousa Mascarenhas e Queirós em 8 de Fevereiro de 1721 na Igreja de São Veríssimo de Amarante. Foram terceiros Morgados da Casa de Mateus.

António José Botelho Mourão foi herdeiro de seu pai, Matias Álvares Mourão, o Morgado da Prata, e de sua mulher D. Joana Maria de Sousa Mascarenhas e Queirós, que morreu em 1723. Foi com este casamento que o Morgado dos Moroleiros, bem como outros bens anexos, vínculos e privilégios, vieram à Casa de Mateus, assim como se operou uma efectiva ascensão nobiliárquica simbolizada pelo uso das armas dos Sousa (ramo dos Sousa do Prado) e pela aposição do Dom antes do nome próprio que será regra de uso a partir de então.

Em 5 de Julho de 1723, foi passada a António José Botelho Mourão sentença de justificação provando que ele, por intermédio de sua mulher, era o único herdeiro de seu sogro D. Luís António de Sousa e, consequentemente, de seu cunhado D. António Luís de Sousa. Deste modo ficou o Morgadio de Mateus em posse do Morgadio de Moroleiros e, com este, bens e fazendas do Algarve.

Foi este Morgado que iniciou a construção do actual Palácio de Mateus (…) Esta grande casa e a capela, até as colunas, são obra dele assim como a grandeza da quinta e jardins e as escadas e paredões que a ornam (…) A conclusão da obra foi levada a cabo por seu filho D. Luís António de Sousa Botelho Mourão.

Nesta geração, cinco dos irmãos de António José Botelho Mourão, abraçaram a vida eclesiástica, exercendo vários cargos e marcando de forma particular a história da casa e da família. Um deles foi o Padre João Botelho Mourão, Arcediago de Labruge e de que se trata o documento do Mês de Maio.

 

Neste Mês da Poesia, o Arquivo da Casa de Mateus traz um documento que faz menção a cerimónia de baptismo de D. José Maria do Carmo de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos, conhecido, também, pela publicação da célebre edição ilustrada dos Lusíadas.

O documento refere-se ao Alvará de procuração que fez o Marquês das Minas dando poderes a João Botelho Mourão, Arcediago de Labruge para, em seu nome, assistir como padrinho ao baptizado do filho de D. Luís António de Sousa Botelho Mourão e D. Leonor Ana Luísa José de Portugal, [José Maria do Carmo de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos].

Grupo de Envio 1857.02 / SC 05 / SSC 05.07
Padre João Botelho de Mourão, Arcediago de Labruge (f. 1773-07-17)
Data 1758/06/02 Local n.a. Tabelião n.a.

 

 

 

Documentos do Mês

Documento do Mês de Janeiro

Documento do Mês de Fevereiro

Documento do Mês de Março

Documento do Mês de Abril