A Fundação da Casa de Mateus, propõe, ao longo do ano de 2021, apresentar e explicar cada mês documentos representativos das 12 Secções constantes do seu Arquivo.

Secção 10 – Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos (1879-1926)

D. José Luís de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos, 3º Conde de Vila Real (n. 1843/09/23 – f. 1923/12/09 )
D. Teresa Francisca de Melo da Silva Breyner Sousa Tavares e Moura, 3ª Condessa de Vila Real e 2ª Condessa de Melo (n. 1848/04/08 – f. 1926/03/11)

A Fundação da Casa de Mateus apresenta, neste mês de Outubro, através do seu site, documentos representativos do seu Arquivo. Neste mês apresentamos um documento da Secção 10 (1879-1926) do Sistema de Informação da Casa de Mateus (SICM).

D. José Luís Botelho Mourão e Vasconcelos, 3º Conde de Vila Real casou, a 2 de Março de 1867, com D. Teresa Francisca de Melo da Silva Breyner de Sousa Tavares e Moura, 2ª Condessa de Melo, filha de Luís Francisco Soares de Melo da Silva Breyner de Sousa Tavares e Moura, 1º Conde de Melo e de sua mulher D. Frederica Xavier Botelho.

Foram oitavos e últimos Morgados de Mateus e senhores dos bens da Casa Melo, integrados por casamento. Ficaram, assim, unidos os títulos de Vila Real e de Melo.
Deste casamento nasceram três filhos: Maria dos Prazeres de Sousa Botelho e Melo, Fernando de Sousa Botelho e Melo e Maria Teresa de Sousa Botelho e Melo.

A documentação deste casal que se conserva no Arquivo da Casa de Mateus dá-nos elementos sobre a administração da Casa no seu tempo, constituindo um importante núcleo para o conhecimento e estudo da cidade de Vila Real. No referido acervo documental encontramos documentos que referenciam acontecimentos sociais e culturais da época, realizados tanto em Vila Real como noutros locais , além de plantas de edifícios da cidade de Vila Real e recibos de lojas existentes, essencialmente, na Rua Direita .

Ainda sob a administração de sua mãe, D. Júlia Adelaide Braamcamp de Almeida Castelo Branco, em 1870, o 3º Conde de Vila Real foi responsável pela construção do ramal da Estrada de Abambres até ao Palácio de Mateus, tendo pago pela expropriação de diversos terrenos para que a estrada pudesse ser construída .

A correspondência trocada com a Real Companhia Vinícola e a Liga dos Lavradores do Douro, de que D. José Luís de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos era sócio , evidenciam o papel da Casa de Mateus na região demarcada do Douro.

 

Neste mês apresentamos a documentação do ano de 1888, trata-se de telegramas emitidos por Ribeiro Vaz, Baia Cândido, Manuel Inácio Fernandes e José Albertino Cardoso para o D. José Luís felicitando pela apresentação do projeto do Caminho de Ferro.

 

 

“1888 – Conde de Vila Real. Caminho de Ferro do Vale do Corgo”. Telegramas [a felicitar o conde de Vila Real pela apresentação do projecto do caminho de Ferro]: Cândido; de Ribeiro Vaz e Baia; do Administrador Manuel Inácio Fernandes e de José Albertino Cardoso (02.06.1888 – 05.06.1888)

 

SICM / SC 10.01 / GE1204.02

 

 

 

Documento do Mês | 2021

Documento do Mês de Janeiro

Documento do Mês de Fevereiro

Documento do Mês de Março

Documento do Mês de Abril

Documento do Mês de Maio

Documento do Mês de Junho

Documento do Mês de Julho

Documento do Mês de Agosto

Documento do Mês de Setembro