A Fundação da Casa de Mateus, propõe, ao longo do ano de 2020, apresentar e explicar cada mês documentos representativos das 12 Secções constantes do seu Arquivo.

Secção 04 – Álvares Botelho Mourão (1696-1730)

Doutor Matias Álvares Mourão, Morgado da Prata 

 

Na paisagem envolvente da Casa de Mateus destaca-se o monte de Santa Sofia, a Quinta de S. João, a Mata do Conde, o bairro de Casal de Matos e a antiga aldeia de Mateus. A ligação histórica destes territórios à Casa de Mateus permitiu manter, até hoje, uma vocação antiga de proteção da envolvente paisagística. O documento que hoje apresentamos mostra-nos um pouco de como se foram juntando esses pedaços de paisagem, através de alianças matrimoniais, heranças e uma visão incomparável de futuro.

Cumprindo a vontade de D. Maria Coelho, a Velha, Matias Álvares Mourão, o Morgado da Prata, filho de Domingos Botelho Álvares Ribeiro e de sua mulher D. Joana Mourão, casou com D. Maria Coelho de Barros e Faria, filha do Dr. Cristóvão Álvares Coelho e D. Brites de Barros de Faria, Morgados de Arroios.

Embora não seja conhecida a data deste casamento, sabemos que eram ambos de tenra idade, porque ele não passava dos catorze e ela dos treze. Em 1688 recebeu mercê de D. Pedro II de 12 mil reis de tença por estar casado com uma filha do Dr. Cristóvão Álvares Coelho de Arroios.

 

Matias Álvares Mourão tomou posse das terras pertencentes à Casa da Cumieira, que herdou por morte de D. Maria Coelho, a Velha, em 23 de setembro de 1696.

Matias Álvares Mourão e D. Maria Coelho de Barros e Faria foram 2º Morgados de Mateus, administradores dos vínculos da Capela de Nossa Senhora dos Prazeres de Mateus e da Capela de Nossa Senhora da Esperança na Cumieira. Administravam outros bens e prazos nomeadamente em Sabrosa, Vila Pouca, Lago Bom e Bornes.

Em 1708, o Capitão Diogo Pereira de Aguiar fez testamento nomeando sua mulher, D. Catarina de Figueiredo, herdeira Universal e, por morte desta, nomeou seu sobrinho para lhe suceder nos bens e prazos. D. Catarina de Figueiredo fez doação dos seus bens e de seu marido a Matias Álvares Mourão, procedendo mais tarde do mesmo modo com o filho deste, António José Botelho Mourão.

Matias Álvares Mourão foi ainda herdeiro de seu primo João Coelho de Figueiredo, que por testamento de 5 de Novembro de 1719, em Mateus, o nomeou por herdeiro e testamenteiro. Entre os bens que lhe deixou em Mateus contava-se a quinta de Urros, que o Morgado da Prata, num acto de loucura terá vendido ao Abade por 1:000$000 rs.

De acordo com a notícia histórica deixado por D. José Maria de Sousa Botelho e Vasconcelos, a Casa perdeu muito durante a administração deste casal (…) eles empenharam-se sem proveito. A bondade de um e parco assento de sua mulher foram a causa da desordem (…).

Deste modo, em 1720, como possuidor da Quinta de Mateus e mais pertenças desta, deu a seu filho António José Botelho Mourão, que viria ser o seu sucessor, a Quinta da Cumieira e pertenças, Quinta de Lago Bom e foros de Vila Pouca de Aguiar, com a condição de casar com a senhora Dona Joana Maria de Queirós e Mascarenhas e Sousa.

Fez testamento a 20 de julho de 1728 na Cumieira, deixando por herdeiro e sucessor no Morgadio seu filho, encarregando-o de observar tudo o que estipulara a instituidora D. Maria Coelho. Foi sepultado na Capela de Nossa Senhora dos Prazeres em Mateus.

Matias Álvares Mourão deixou ainda uma filha, D. Ana Maria dos Prazeres, Religiosa no Convento de Santa Clara, tal como consta da escritura de obrigação de bens de 1723.

O documento do Mês de Abril completa o seu terceiro centenário e trata-se da escritura de dote com a condição de casamento entre António José Botelho Mourão com D. Joana Maria de Sousa Mascarenhas e Queirós, feito por D. Luís António de Sousa, Governador de Viana e D. Bárbara de Sousa Mascarenhas, da Quinta de Moroleiros em Amarante, e Matias Álvares Mourão, Morgado da Prata, e sua mulher D. Maria Coelho de Barros e Faria, da Quinta de Mateus; junto contém a respetiva autorização.

 

Cota

13 fls., 21,5X30,5 cm; manuscrito sobre papel; caderno com folhas numeradas de 8 a 20. SICM / SSC / 06.01 / SR / GAVETA / SSR / MATEUS INSTITUIÇÕES / SSSR / MÇ 35

 

Documentos do Mês

Documento do Mês de Janeiro

Documento do Mês de Fevereiro

Documento do Mês de Março