Catarina Magalhães, investigadora no Centro Interdisciplinar de investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) tem vindo a participar em diversos programas de monitorização liderado pelo NPI (Instituto Polar Norueguês), que propõem um estudo abrangente em termos espaciais e temporais acerca da importância dos processos do azoto e comunidades microbianas no Oceano Ártico. O projeto de monitorização, que se desenvolve há mais de 20 anos, é essencial para compreender as consequências e impactos do aumento progressivo das temperaturas no Ártico, sujeito a algumas das alterações mais drásticas do nosso planeta.

Recentemente Catarina integrou a única equipa portuguesa da área da microbiologia a participar na mais recente edição do programa internacional de monitorização do Ártico (MOSJ – Environmental Monitoring of Svalbard and Jan Mayen), liderado pelo Instituto Polar Norueguês (NPI). No âmbito deste projeto, a equipa liderada por Catarina Magalhães, permaneceu, durante uma semana, a bordo do navio oceanográfico norueguês Hermer Hanssen.