13 DE MAIO | 18H30-20H00
Conversa

A carregar Eventos

13 DE MAIO | 18H30-20H00

Conversa

MATEUS LABS | TRANSIÇÕES

com Maristella Svampa, investigadora, socióloga e ativista, e Jonathan Minchin, arquiteto, designer e maker,

na presença de Saulo Jacques, especialista em ecologia de ecossistemas, Ferdinand Meier, engenheiro mecânico especialista em FabLabs, e

David Colliaux, que trabalha em inteligência artificial e robótica para a agroecologia.

 

Ao fim da tarde de 13 de Maio, recebemos a socióloga argentina Maristella Svampa, investigadora e professora na Universidad Nacional de La Plata, na Argentina e o arquiteto e fundador do Ecological Interaction Applied Research Group, Jonathan Minchin, para uma conversa livre à volta das múltiplas transições que enfrentamos: lógica, ecológica, filosófica, digital, cultural…

 

Partindo da constatação de que o ‘colapso ecológico’ já está aqui e que a nossa relação com o planeta e todos os seus restantes habitantes precisa de uma reparação urgente, partilharemos experiências concretas de reflexão ativista sobre a economia baseada na extração, ainda dominante, e sobre o desenho de estratégias para a sua superação que combinam saberes e modos de fazer ancestrais com uma revolução digital assente nas práticas de ciência aberta e ciência cidadã.

 

Para lá da reflexão de natureza ambiental, económica, política e social que o pensamento sobre as transições implica, interessa-nos pôr mãos à obra: descobrir formas de investigar e conhecer a biodiversidade, condição essencial para poder defendê-la; partilhar tecnologias avançadas, que recorrem à robótica e a tecnologias digitais de fonte aberta, ao alcance de projetos de pequena escala; contribuir para inventar formas de produção e consumo mais próximas e sustentáveis, através de projetos no âmbito da agroecologia ou da disseminação de pequenos laboratórios de fabricação para a resolução descentralizada de problemas das comunidades.

 

A marcar o arranque do projeto Escola das Transições, que a Fundação da Casa de Mateus deseja empreender a partir de 2022, uma conversa sobre as possibilidades de futuro que o presente contém, tomando os múltiplos passados como matéria de aprendizagem e inspiração.

 

 

Escola das Transições

Espaço patrimonial organizado em torno de um Solar barroco construído em meados do séc. XVIII, a Casa de Mateus é também, desde sempre, uma quinta produtiva. Ao longo dos séculos, essa quinta foi sendo permanentemente reinventada em função das necessidades, das técnicas e das ferramentas que cada geração teve ao seu dispor.

No início do séc. XXI, à inevitável atualização de ferramentas e processos determinada pela transição digital e pela emergência da agricultura de precisão, acresce a necessidade de alterar a nossa relação com o planeta, de conhecermos em profundidade o nosso património ambiental e de ensaiarmos formas de o preservar e regenerar, enfrentando a transição ecológica como uma oportunidade para transformarmos radicalmente uma economia assente na extração e encontrarmos caminhos concretos para a sustentabilidade e a autossuficiência.

A crescente complexidade destes desafios implica um olhar baseado na inovação e no conhecimento, um novo entendimento da relação entre a aquisição e transmissão de conhecimento e a prática científica para lá das paredes da Universidade, numa perspetiva transversal e multidisciplinar, mas também um investimento sustentado na atualização e reconversão de competências da população ativa construindo as novas competências que o futuro nos exige.

A Escola das Transições procura caminhos efetivos entre os conhecimentos e as técnicas tradicionais no campo da agroecologia, ainda centradas numa relação simbiótica com o meio envolvente e no respeito dos ciclos naturais, e a utilização de técnicas e ferramentas avançadas que impulsionam a transição para uma agricultura leve e de precisão, incluindo o rastreamento de nutrientes da horta à mesa, compreendendo a gastronomia como uma expressão da biodiversidade de uma Região.

Tomando partido da matriz patrimonial que caracteriza a Casa de Mateus, nos domínios histórico e ambiental, usando o seu perímetro de 35 ha., composto por património arquitetónico, jardins históricos, zona agrícola, vinhas e mata como território de pesquisa, a Escola das Transições construir um conjunto articulado de módulos de formação eminentemente práticos em ambiente multidisciplinar, nos domínios da fabricação digital, biologia, agroecologia e gastronomia.

 

 

Informações: Os lugares são limitados e sujeitos à aquisição de um ingresso no valor de 5€. Pode reservar o seu lugar pelo email cultura@casademateus.pt.