Caminhos de Mateus

Caminhos de Mateus é um ciclo de programação musical descentralizado que propõe, em Mateus e num conjunto de aldeias vinhateiras, Provesende, Salzedas e Trevões, um programa de concertos e conferências, cruzando o exercício da excelência musical com a descoberta de repertórios e fomentando a partilha do gesto de fruição musical por parte de públicos com experiências muito diversas.

A dar cor ao programa, está a criação musical portuguesa e luso-brasileira entre o século XVI e o início do XIX e a sua inserção num amplo contexto internacional. Cruzando as tradições europeia e sul americana, evocaremos a arte da fuga a partir de Bach numa adega com um dispositivo muito especial de inclusão dos públicos, estenderemos a escuta pela obra de compositores portugueses como Carlos Seixas, ou residentes em Portugal, como Davide Perez, e confluiremos depois na abordagem da produção das Missões Jesuíticas da América do Sul e na obra de André da Silva Gomes, compositor português radicado em São Paulo, num programa cruzado entre o Quarteto Atégina e o Americantiga Ensemble.

Para aceder ao programa detalhado de Caminhos de Mateus 2016, clique aqui.

Para aceder ao programa detalhado de Caminhos de Mateus 2017, clique aqui.

Dagoberto Linhares

Dagoberto Linhares regressou novamente à Casa de Mateus, com os seus alunos finalistas do conservatório de Lausanne. Assim, realizou o concerto final, no dia 22 de Outubro, com os participantes neste curso e com o seguinte reportório: Astor Piazzolla, Leonard Bernstein, Leo Brouwer, Gioachino Rossini, Mário Castelnuovo-Tedesco e Heitor Villa Lobos. Os intérpretes foram os seguintes: Lorenzo Regianni (guitarra), Samuel Hirsch (violino), Mykhailo Kovalchuk (alto), Tiago Almeida (guitarra), Simon Plaetse (guitarra), Johan Smith (guitarra), Nelson Javet (guitarra) e o próprio Dagoberto Linhares.

 

Tributo a Bach

Em colaboração com o Conservatório Regional de Música de Vila Real, a Fundação da Casa de Mateus acolheu o concerto de flauta e cravo “Tributo a Bach” por Filipa Oliveira e João Paulo Janeiro, no dia 23 de setembro de 2016. Com esta iniciativa inaugurou-se o programa “Memórias e Caminhos de Mateus” que integra o projecto “Caminhos de Mateus” em parceria com a Associação Douro Generation.

A colaboração entre a flautista Filipa Oliveira e o cravista João Paulo Janeiro tem acontecido no âmbito de numerosos projectos musicais em Portugal e em vários países europeus, tanto na performance, em concertos e gravações com orquestra ou agrupamentos de câmara, como na concretização de projectos internacionais de difusão e formação da música antiga.

Em 2015, iniciaram um projecto em duo, com o objectivo de explorar os reportórios férteis do Maneirismo e Barroco, contribuindo para prosseguimento da carreira artística em ascensão da intérprete de flauta e contribuir para a difusão do cravo e da flauta de bisel em regiões onde estes instrumentos não têm expressão.

Assim, após terem abordado o Barroco italiano inicial, lançaram-se num dos mais emblemáticos repertórios para flauta e cravo que são as sonatas de Johann Sebastian Bach, num tributo à extraordinária diversidade da escrita para esta formação de Bach.

Academia Internacional de Música

Os organizadores da Academia Internacional de Música manifestaram o seu interesse em manter esta actividade pelo terceiro ano consecutivo, durante a quarta semana de Julho e primeira de Agosto.

http://mateusmusicacademy.com/